Com novo serviço pago, Feedly arrecada US$500 mil em 8 horas

Serviço lançou há dois dias uma versão especial “para toda a vida” por 100 dólares para os primeiros 5 mil assinantes.

feedlyFeedly levantou meio milhão de dólares em 8 horas com a venda de assinaturas do seu serviço de RSS – uma média de mais de 62 mil dólares por hora.

Dois dias atrás, o Feedly lançou uma versão “especial” do seu serviço, o que a empresa chamou de “edição para a vida toda”, por 100 dólares para os primeiros 5 mil assinantes.

No final do dia, Edwin Khodabakchian, CEO e cofundador da DevHD – a empresa por trás do Feedly – disse que as 5 mil contas tinha sido preenchidas em oito horas. O total para o Feedly: quase 500 mil dólares. “Os fundos desta primeira edição vão nos ajudar a adquirir o hardware necessário para abrir o Feedly Pro para todos”, disse Khodabakchian em um post no blog da empresa.

O serviço de RSS se tornou a alternativa mais popular ao Google Reader, depois que a gigante de Mountain View anunciou em março que encerraria o seu serviço. Desde então, o Feedly criou uma API (interface de programação de aplicativo) própria, que imitava a do Google, reforçou a sua infraestrutura de hardware e, para a versão paga, construiu uma funcionalidade de pesquisa a partir do zero.

A busca foi apresentada como um dos maiores pontos para a venda do Feedly Pro, que será aberto em breve para os assinantes que perderam a oferta “para toda a vida”. O Feedly Pro custará 5 dólares mensais, ou 45 dólares por ano.

A versão gratuita do serviço permanecerá ativa, e novos recursos serão adicionados a ela, prometeu a empresa. O primeiro da lista: suporte HTTPS.

O legado do Reader

Quando o Google abandonou o Reader, um dos motivos foi a queda no número de usuários. Usuários de longa data, no entanto, reclamaram tanto que chegaram até a lançar várias petições online pedindo pela vida do serviço. Uma das primeiras petições recolheu mais de 150 mil assinaturas, sem sucesso.

Na época do anúncio do Google – e como os usuários correram em busca de alternativas antes de 1 de Julho, data do encerramento – especialistas opinaram que os serviços gratuitos eram efêmeros e, como o Reader, poderiam facilmente ser acabados.

Esse não foi o tom dos comentários anexados a postagem no blog de Khodabakchian.

Enquanto alguns lamentaram o atraso sobre a oferta “para a vida toda”, muitos outros disseram que os valores do Feedly Pro estavam muito altos, considerando o que eles pagavam por outros serviços.

“Eu pagaria 1 dólar por mês por ele, mas 5 dólares é muito acima do meu limite”, disse alguém identificado como “albeec13“, na segunda-feira. “Eu pago 7 dólares no Netflix, por exemplo, e ele tem muito mais a oferecer do que um leitor de notícias.”

“É bom ter a versão Pro, mas 5 dólares por mês me parece muito caro”, disse Lucas Janin. “5 dólares é o que eu pago por um backup ilimitado de meu computador… se fosse mais barato, como 2 dóalres [por mês], vocês teriam muito mais assinantes.”

Respondendo a esses clientes e outros, Khodabakchian os incentivou a continuar usando a versão gratuita e reconsiderar a proposta no futuro. “Esperamos que, ao longo do tempo, possamos adicionar valor suficiente para a sua experiência no Feedly  em que 5 dólares [por mês] será aceitável”, escreveu.

Khodabakchian cofundou a DevHD com Cyril Moutran em 2006, e juntos lançaram o Feedly em 2008. Antes disso, Khodabakchian trabalhou na Oracle como vice-presidente de desenvolvimento de produto, de acordo com o seu perfil do LinkedIn.

Durante quatro anos, na década de 90, ele era um arquiteto de software da Netscape, precursor do navegador Firefox, da Mozilla.

Moutran também trabalhou na Netscape como engenheiro de software durante o mesmo período.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s